3 de maio de 2009

Antes de tudo, cuide do meio ambiente

Por Iêda Santos
Para iniciar os passeios culturais, aprender a conhecer novos lugares e assim por diante, é necessário ter consciência ambiental. Digo isso pois tanta sujeira foi deixada pela população depois da Virada Cultural, que aconteceu entre sábado e domingo (02 e 03/05) em São Paulo, que é inacreditável!! Como ter mais cultura sem ter educação?

Sim, educação ambiental se começa quando não jogamos nem um mínimo papel de bala no chão; guarda no bolso da calça, na bolsa, sei lá, arranja um jeito, mas não suje as ruas da cidade!! Não jogar papel pelas janelas de carros e ônibus também vale.

Imagina que li uma matéria no uol que dizia que havia um enorme número de garrafas pets em uma esquina no centro de São Paulo... Imaginem se chovesse!!!

O Andanças resolveu começar a mostrar seus passeios e descobertas de uma vez por todas, mas antes começa com dicas para cuidar melhor do nosso meio ambiente, dos nossos ambientes culturais, enfim, do nosso patrimônio ou mesmo que não seja nosso... até porque não precisa estar escrito "não jogue papel aqui" ou "não pise na grama", educação vem de berço!!! Dicas que todos sabem, claro, mas nem todos praticam:
- quando estiver perto de uma linda e frondosa árvore, não escrever nomes nos troncos é importante;
- e falando em escrever, não escrevam recados de amor, palavrões etc nos ônibus!!
- carregue uma sacolinha para as suas sujeiras e depois jogue no lixo quando encontrar um pela frente;
- não jogue latinhas e garrafas na rua! Enfim, não jogue NADA!
- no litoral de qualquer cidade vale aquele antigo recadinho da revista Fluir "Destrua as ondas, não as praias", leve sua sacolinha para seu lixo e se não tiver lixeira quando sair de lá, carregue sua sacolinha até achar uma;
- Em banheiros´públicos, jogue os papéis no cestinho;
- Pense nisso!! Para ser cult, precisa ser educado!! Educado em ações e gestos também!
Bem, volto durante a semana para falar de coisas básicas encontradas no Bairro da Liberdade, em São Paulo, e logo depois um bate papo com um viajante!


foto: google imagem

4 comentários:

  1. Wow,so cool!Wonderful blog.Coming to your blog We are very pleased to.
    Nice to meet you.We upload something about the works to the blog.
    We invite you to our blog.Look forward to your visit.Happy every day!

    http://china-cutter.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Daqui do meu mundinho silencioso que tem surtido resultados íntimos e internos muito proveitosos, desta vez, eu não poderei me calar!

    Eu concordo plenamente e assino embaixo de tudo, tudinho! Mas acho que vale muito a pena alguns acréscimos.

    É claro que educação, respeito e consciência nunca é demais. Mas vamos combinar que juntar 4 milhões de pessoas dentro de um perímetro de alguns metros quadrados num só final de semana não pode resultar em ruas, calçadas, viadutos e praças ilesas. E é aí que eu pergunto: será que a Virada Cultural, da qual eu não participei este ano por pura convicção, e não só pelo momento 'reclusão' pelo qual estou passando, não atenderia ao famoso 'pão e circo'?!

    Será que não é mais fácil, conveniente e menos custoso promover em 24 horas uma cultura a que deveríamos ter acesso o ano todo?! Será que o curto leque também não se deve a isso?! Por que eu sou obrigada a me interessar por este cardápio tão restrito diante da imensidão criativa do povo do meu país??? Eu sou mesmo obrigada a me privar de qualquer conforto e comodidade de um teatro ou de um palco num lugar coberto e cômodo pra me espremer com mais 3 milhões novecentos e noventa e nove mil pessoas que também aproveitaram esta data porque sabem que provavelmente será umas das poucas que proporcionarão cultura e lazer "sem ônus"? E sou ainda obrigada a ter a companhia de pessoas que se embreagam, se drogam ou se agridem porque não sabem tirar proveito de nada que seja bom sem aliar autodestrução?!

    Será ainda que eu devo (e devo mesmo!) ter o mínimo de educação e respeito pela minha cidade, pelo meio em que vivo, pelo meu semelhante que também usufrui do espaço público e andar com minha sacolinha (de plástico enquanto não temos um opção tão prática e bem menos agressiva) a tira colo e não me livrar dela enquanto não achar uma lixeira pública, nem que pra isso eu seja obridada a permanecer carregando lixo enquanto a quem caberia providenciar lixeiras em mais lugares (e até mesmo imaginar um modo de fazê-lo evitando que elas sejam destruídas pelo imbecis dos vândalos) isso não importa tanto assim?

    DESCULPE!

    Eu exijo meu direitos como cidadã, assim como me disponho de muito bom grado a meus deveres como tal! E não alimenta minha alma, nem tampouco satisfaz meu coração esse cenário fictício de política, quando esta de define como representatividade, e em prol de todos!

    ResponderExcluir
  3. O difícil é fazer alguém se concientizar disso, o pior é que parece que as peesoas não querem nem saber.
    Quantas e quantas vezes já ouvi a frase "... e daí, se eu jogar na rua não vai fazer diferença... um a mais um a menos tanto faz como tanto fez"
    E infelizmente é bem assim mesmo, na maioria dos lugares, nos transportes públicos, uma poluição visual que só...
    Quanto a escrever recadinhos, é o fiiim vermos uma zona nos acentos e o "conteúdo" então nem se fale, serve para os recadinhos deixados nas portas de banheiros públicos.

    ResponderExcluir
  4. Menina, quando se começa a reciclar o lixo, que percebe como a gente estragou a natureza por tantos anos... me sinto culpada.Adorei o retorno ao All Star bjs

    ResponderExcluir